29 junho 2010

INVEJA OU PRECONCEITO?

Se um conhecido me disser que ganhou na mega sena ficarei feliz por ele e também sentirei inveja, não sei em que ordem: primeiro a felicidade pela sorte alheia e depois a inveja ou o contrário, ou tudo ao mesmo tempo. 

Sentirei inveja porque cresci ouvindo de tudo que é lado que eu deveria ter sucesso, ganhar dinheiro, ser alguem respeitada, blablabla! E também cresci ouvindo quão defeituosa era, as qualidades praticamente inexistentes. Oh coitadinha de mim!? Não só de mim, porque você, o vizinho e até mesmo o presidente do Brasil tiveram o mesmo tipo de (des)educação, faz parte do modo operandis da sociedade: pais, professores e adultos em geral salientam os defeitos das crianças e esquecem de ver o que elas tem bom, pois assim acreditam que formarão adultos mais fortes, preparados para o mercado ultra competitivo. O que conseguem é aguçar nossa inveja: o outro sempre é melhor, aonde estou não é suficiente, deveria estar em outro lugar, de preferencia mais alto. E a inveja vem até mesmo camuflada num senso de superioridade: "sou melhor que fulano, estou em uma situação mais privilegiada que beltrano...." ou em uma preocupação com o bem estar alheio: "olha você deveria parar de falar sobre depressão agora, isto não pode te fazer bem!". A inveja vem, assim como a baixo auto estima explode, no ato de se comparar com o outro, e muitas vezes nem nos damos conta!
Teve uma época da minha vida que quase me sufoquei na inveja! "Ai como queria ter a vida do Junior: ele não tem horarios, faz o que quer, é alegre, autentico, deixa a maluquice dele fluir sem culpa, dorme a hora que quer, come coisas gostosas, é super acariciado...." O Junior era o cachorro, um doberman muito amado por mim e minha família, e eu cheguei a sentir inveja dele porque comparava minha vida à dele! Fiz isto com alguns gatos também.
E a comparação vem da onde? Do não se suportar totalmente, do não se achar suficiente, do não se respeitar, do não se conhecer! Assim ficamos insatisfeitos e quando vemos alguem vivendo a vida de modo mais inteiro e mais a fundo, se respeitando, indo na contramão, logo nos comparamos (mesmo que sem perceber), sentimos inveja e dizemos: "olha estou preocupado com você porque está na hora de você se cuidar...".
E camuflamos nas boas intenções a inveja, que vem da comparação com o outro (ou outros), que vem do sufocar o próprio eu, que vem da baixo auto estima, que vem da insegurança, que vem do meio em que vivemos, que vem dos condicionamentos sociais que quer que as pessoas, em sua maioria, funcionem de um determinado modo para manter o mecanismo social funcionando a todo vapor!
Então não nos comparemos mais! Um abacateiro dá abacates, uma pitangueira pitangas! Ambos são frutíferas, mas se o abacateiro ficar se comparando com a pitangueira e vice versa danou-se!

3 comentários:

Lu disse...

Teria tantas coisas a dizer sobre o que sinto de vc e dos teus ultimos posts, mas tudo não cabe em poucas linhas, então tentarei resumir: imagino que deve ter te tocado e chocado (eu ficaria) ouvir alguém dizer que não acredita muito "nessas coisas", falando de depressão, o que não é equivalente a dizer que não acredita em Deus ou em disco voador...negar uma doença que é visivel nas atividades cerebrais, é negar toda a pesquisa médica e descobertas da ciência, é negar o ser humano! Surpreende sim, mas é claro que a questão não é essa, é mais facil dizer que não acredita para não precisar falar exatamente o que pensa (se é que sabe algo sobre o assunto!) Porque se pensa, nem sabe porque, nunca se perguntou se o que pensa pensar vinha de si ou do exterior. Mas muitas vezes é mais uma forma de dissimular uma total ignorância, ou também uma forma de manter-se à distância, como rejeição, como superstição, com medo de serem contaminados?! Cruz credo! Deus me guarde!!!
Ai, so rindo mesmo!
Quanto aos que dizem que vc deveria parar de falar no assunto, eles deveriam se questionar, procurar saber o que realmente incomoda, e serem muito honestos consigo mesmos, pois terão que assumir a possibildade de encontrar, entre outros, a inveja e o preconceito como resposta. E deveriam além disso, se questionar sobre a amizade, a empatia, o respeito e a tolerância, e suas incompatibilidades com o fato de pedir para alguém parar se ser o que é, de fazer o que sente, e fingir que uma parte de sua vida não existiu e continua a não existir. Deveriam abrir os olhos ao invés de quererem fechar os ouvidos!
As representações sociais passam pela linguagem e devem ser transmitidas para existir, para mudar... então, continue a falar, contar, desabafar, o seu blog e o site de vcs são vetores de informação e comunicação, e dessa maneira contribuem à transmissão de novas representações sociais, e é assim que as idéias evoluem, lentamente, mas sempre em frente!
Fique bem amore!
Muita saudade!
bisous

Calvin disse...

Oi QUERIDA!
Temos que aceitar até se somos um ENORME ABACAXI! E ver o que o espelho diz, não imaginar que somos um morango bem gostoso e ainda com leite condensado por cima...
Lendo o que vc escreveu fiquei pensando num capítulo de um livro que li que fala sobre o EGO. E como vamos ao longo do tempo nos adequando para tomar as "MELHORES??" atitudes. Daí temos a tendência a ficar neuróticos, não podendo errar, sempre querendo escolher o caminho ótimo. Como dizem os economistas que fogem do caminho boboca neoclássico: NÓS NÃO TEMOS INFORMAÇÃO PERFEITA SOBRE TUDO, NÃO TEMOS RACIONALIDADE MAXIMIZADORA!!! E outra coisa... SIM, TEMOS QUE LIDAR COM O MEDO DE CADA DIA. DO jeito que que os dias foram criados, cada um DIFERENTE DO OUTRO.
E mesmo assim, nos acostumamos a querer ser o BOM MENINO. E a comparação continua...

O Bom Menino (e meus comentários)
(Carequinha)

O bom menino não faz xixi na cama
(SIM, ELE FICA APERTADO ENQUANTO NÃO APRENDE A IR NO BANHEIRO SOZINHO)
O bom menino não faz malcriação
(NUNCA, ELE SABE TUDO QUE É MALCRIAÇÃO, E SEMPRE SE CONTROLA. LOGO CEDO!!!)
O bom menino vai sempre à escola
( A ESCOLA ENSINA TUDO QUE ELE PRECISA SOBRE A VIDA, E ELE NUNCA NUNCA NUNCA E NUNCA FALTA)
E na escola aprende sempre a lição
(A MAIOR LIÇÃO QUE SE APRENDER É ANDAR NA LINHA)

O bom menino respeita os mais velhos
(EXISTEM BONS E MAUS VELHOS)
O bom menino não bate na irmãzinha
( A irmãzinha põe foco no cabelo dele, gruda chiclete e ele guarda tudo pra si!)
Papai do céu protege o bom menino
(Coitados dos outros, VÃO PARA O INFERNO)
Que obedece sempre, sempre a mamãezinha
(As mães também erram)

Por isso eu peço a todas as crianças
Preste atenção para o conselho que eu vou dar

(falado)
Olha aqui.
Carequinha não é amigo de criança que passa de noite da sua cama pra cama da mamãe
E também não é amigo de criança que rói unha, e chupa chupeta.
Tá certo ou não tá?
Táaaaaaa

Eu obedeço sempre a mamãezinha
Então aceite os parabéns do carequinha.

O bom menino...

(falado)
Olha aqui.
Carequinha só gosta de criança que respeita mamãe, papai, titia e vovó
E seja amigo dos seus amiguinhos
E também que coma na hora certa, e durma na hora que a mamãe mandar.
Tá certo ou não tá?
Táaaaaaa

Eu obedeço sempre a mamãezinha
Então aceite os parabéns do carequinha.

Sei lá, pra deixar de se comparar com os outros um bom caminho, pelo menos pra mim, é ver quando ajo como o BOM MENINO que quer sempre agradar os outros e não pensa em si próprio.

GRANDE ABRAÇO MEU!

Quem faz as postagens: disse...

adorei os comentarios!

hiohihihhiihihi

bjoka