05 agosto 2010

FELICIDADE

Tenho depressão, já tentei suicídio duas vezes pensei e planejei milhares de outras e hoje sou muito feliz! A depressão não se extinguiu, ainda tenho que ficar vigilante porque essa doença é traiçoeira e do mesmo modo como evapora pode chover na minha cabeça de novo; não ganhei na mega sena, aliás não ganhei dinheiro; tenho feito um trabalho de adminstração bem mala que vai contra minha alma artística, mas que só pode ser feito por mim, ja que não ganhei dinheiro para ter funcionários... E hoje sou muito feliz! Choro, me enraiveço, as vezes fico triste, indignada, mas sou muito feliz! Uma coisa não exclui a outra, sou ser humano!
Descobri que felicidade é uma disposição para a VIDA, nada mais que isto! Apenas estar disponível para meu ser com qualidades e defeitos, minha história com traumas e alegrias, e descobrir o que a existencia quer de mim, ir me desnudando, esse ser que a cada dia se transforma! A felicidade é uma conquista interna!
Mesmo com depressão é muito possivel ser feliz sim! Porém, primeiro é preciso aceitar a própria condição, estar receptiva a novos conhecimentos, abandonar os velhos... É preciso aceitar a própria história e encarar os sentimentos inerentes a condição humana, sem mascará-los, sem criar uma realidade paralela para fugir do ser...
E para isto é preciso estar alerta, já que a nossa society imatura prega justamente o oposto: que felicidade é ausência de dor, de tristeza, de problemas... Que felicidade é: ter um corpão; ter uma casa própria estilosa; ter dinheiro e de preferência um dia viver de renda; ter muita alegria para sorrir bastante e mostrar os dentes branquinhos; transar pelo menos três vezes por semana; se importar com o meio ambiente (ainda bem que isto está na moda!); cultuar os "gênios"; ter um relacionamento amoroso; estar por dentro do que acontece no mundo em todas as áreas possiveis, em suma estar bem informado; ter um círculo de amigos que se reune uma vez por semana; ter hobbies; ganhar prêmios e homenagens; não envelhecer fisicamente e jamais em hipótese alguma tocar no assunto morte!
E isto é apenas um breve resumo da psicologia coletiva que causa muita frustração na maioria das pessoas, porque somente uma minoria alcança o modelo de "felicidade" imposto, o que faz parte do jogo, porque há bilhoes de pessoas no planeta e para o sistema continuar funcionando e beneficiando muito apenas alguns, somente estes alguns podem ter acesso a tal "felicidade" que é patrocinada pelo restante infeliz.
Pois é, a FELICIDADE genuína é encarar a realidade da existência, da vida que pode a qualquer momento ser interrompida...
Viva a simplicidade, Viva a LIBERDADE de apenas SER!

Dedico este post a uma conhecida muito querida de infância que foi embora da Terra, levada de repente por um aneurisma. Há uns 10 anos atrás ela me falou mais ou menos assim: "eu fiquei um mês fazendo estágio em São Paulo e quando vi estava estressada com pressa, esbarrando nos outros na rua pra chegar logo no trabalho. Nossa, não consigo viver assim!". E sabendo da sua natureza, ela se instalou no interior, perto da familia da qual sentia necessidade de convivencia e lá ficou! A "felicidade" social obviamente a condenaria... Mas tenho certeza que ela sim foi muito FELIZ! Parabens a ela pela bela vida que fez! E obrigada por ter falado tanto de Yoga comigo, graças a ela que acabei me entregando a essa pratica maravilhosa!

6 comentários:

LuZ disse...

Ma belle!
A-MEI este post, lindo, emocionante, uma lição de vida!
E é a lição que estou tentando aprender, mas sou buuurrrraa!
Linda e justa a homenagem para essa doçura de menina sinceramente feliz!
Sodade flor!
Amo vc!
beijos

Quem faz as postagens: disse...

pois acho que vc ja aprendeu! vc é mto disposta pra vida! agora lidar com sua realidade faz parte dessa felicidade, pois é dela que vc se transforma!

estamos sempre aprendendo e desaprendendo tb, se livrando de velhos conhecimentos, abrindo espaço para novos!

a partida da mari mexe com a gente, né! lembra que agente tb pode ir a qq momento...

tb amo mto vc!!!

bjoka

Lu disse...

P.S.: esqueci de dizer 2 coisas:
1- amei as imagens que ilustram muito bem o texto, amo o "petit prince"!!!
2- ganhei do Olivier o livro do Murakami, não lembro da tradução em português, mas em francês é "Kafka sur le rivage", e pela grossura dele, ja sei qual livro levarei na viagem pra ai!!!
zaz e jaja eu tô ai e zaz!!!
beijos

Quem faz as postagens: disse...

o pqno principe é uma fofura e é isso: ele so vai embora...
e kafka a beira mar... aaaaaaaaaa que saudade desse livro!!! fiquei orfã depois que acabei!!!
bjoka

Maria Elvira disse...

Ana Maria,
acho tão bonita a ideia de que nunca estremos prontos, de que estamos em permanente transformação e adaptação. Veja que bonitas as palavras do poeta Murilo Mendes:
"Ainda não estamos habituados com o mundo
Nascer é muito comprido."
Um beijo
Maria Elvira

Quem faz as postagens: disse...

maria elvira,

AMEI!!!

bjoka