03 agosto 2010

ALÉM DA DEPRESSÃO E BIPOLARIDADE EXISTEM SUAS PRIMAS...

Todo mundo muda de humor, é normal! Mas quando acontece bastante de “do nada” e “sem motivo”, a pessoa passar de um estado de alegria para um de choro, e isto a faz sofrer e se sentir mal, prejudicando-a até mesmo socialmente, então algo está bem errado. Pode ser um distúrbio!
“É sabido que esses distúrbios não têm cura, mas com tratamento (antidepressivo, estabilizador de humor e terapia) a melhora acontece!”
Ciclotimia ou Humor Ciclotímico
“É uma bipolaridade mais leve e persistente. Há instabilidade do humor, que comporta numerosos períodos de depressão ou de leve exaltação, porém não suficientemente graves ou prolongados para serem considerados como bipolaridade. A pessoa acredita que as constantes mudanças de humor fazem parte do seu jeito de ser e por isto demora para buscar tratamento.”
Fonte: www.psiquiatriageral.com.br

Distimia
“É um tipo de depressão com sintomas mais leves e persistentes, que se caracteriza principalmente pela falta de prazer ou divertimento na vida e pelo constante sentimento de negatividade. Os pacientes que sofreram de distimia desde a infância ou adolescência tendem a acreditar que esse estado de humor é natural deles, faz parte do seu jeito de ser (negativo, acomodado, etc), e por isso não procuram um médico, afinal, conseguem viver quase “normalmente”, porém muito abaixo do seu potencial.
Apesar de geralmente não privar o indivíduo de suas tarefas e obrigações, impede que ele desfrute a vida totalmente. A distimia também estende-se por um período muito maior que os episódios de distúrbios depressivos severos, porém frequentemente se percebe que pessoas distímicas são desanimadas e/ou muito regradas, e se não tratado devidamente pode ser fatal.
Para o diagnóstico distimia, pelo critério norte-americano, são necessários dois anos de período contínuo predominantemente depressivo, para os adultos, e um ano para as crianças, sendo que para elas o humor pode ser irritável ao invés de depressivo. Para o diagnóstico da distimia é necessário antes excluir fases de exaltação do humor como a mania ou a hipomania, assim como a depressão maior. Causas externas também anulam o diagnóstico como as depressões causadas por substâncias exógenas. Durante essa fase de dois anos o paciente não deverá ter passado por um período superior a dois meses sem os sintomas depressivos.”
Fonte: www.abcdasaude.com.br

PARA LER MAIS CLIQUE AQUI!

2 comentários:

LuZ disse...

Oi adocica!
Acho que ja te falei que penso cada vez mais que "minha personalidade" é distimica! Como descrito no post, nunca procurei estabelecer um diagnostico por achar que essa irritabilidade, mau humor, insatisfação, tristeza, etc faziam parte desse ser estranho que sou!!! Talvez eu viva de fato abaixo do meu potencial, mas é que a incidência na minha vida de tais sentimentos nunca foi tão grande e importante. Repeti um ano na faculdade por faltas, mas fora isso, agora por exemplo, na minha vida profissional, eu consigo me distanciar e abafar meus humores para me concentrar no que faço, mesmo se muitas vezes sinto falta de energia, vou que vou, e em 4 anos nunca deixei de trabalhar por me sentir mal.
Eu ainda não me sinto disposta a procurar um psiquiatra, vou indo com a terapia, e quem sabe um dia descubro se tenho irmã ou prima...ou outro!!!
beijos mil

Quem faz as postagens: disse...

Adocica!!!!

pois é eu acho que vc mandou bala mesmo com essa doencinha pq vc é um furacão!
e acho que tem mto a ver tb com a rigidez da familia, no sentido de ter de fazer as coisas "no matter what", o que de uma certa forma te impulsionou. mas me lembro bem adocica dos seus "bad moments" e é por isso que te admiro mais ainda, pq lidar com uma doença dessas e fazer o que vc fez há que ser um furacão mesmo!
o diagnostico depois de anos eu sinto que nem é mais importante sabe, acho que é essencial no inicio, mas nos nossos casos ja passou tanto tempo, né!
mta sodade!!!
bjoka