08 abril 2010

VAMOS ESPALHAR ESCLARECIMENTO!

Exército químico, matéria da revista galileu parte 7
Por Camila Artoni,

"Antidepressivos são drogas que aumentam o tônus psíquico, melhorando o humor e a psicomotricidade de maneira global. Todos regulam a secreção e a captação de neurotransmissores, mas são classificados de acordo com a ação que desempenham. "

"Antidepressivos tricíclicos (ADT)
Os ADTs agem no sistema límbico, que é a área do cérebro que cuida das emoções. Ele aumenta a quantidade de serotonina e de noradrenalina na fenda sináptica (região entre os neurônios, onde ocorrem os impulsos elétricos). O efeito é conseguido de duas maneiras: ao mesmo tempo que o medicamento impede a recaptação das substâncias, ele diminui a quantidade de receptores. Assim, a concentração dos neurotransmissores aumenta. São indicados para tratamento diversos: depressão associada com esquizofrenia e distúrbios de personalidade; distimia (mau humor crônico); depressão pós-traumática ou psicopática; síndromes obsessivo-compulsivas; fobias e ataques de pânico.

Inibidores da mono-aminaoxidase (IMAO)
Os antidepressivos do tipo IMAO aumentam a disponibilidade da serotonina no cérebro. Essa classe de medicamentos inibe a ação da monoaminaoxidase, enzima responsável pelo metabolismo desse neurotransmissor. O bem-estar é efeito do aumento da concentração de serotonina nos locais de armazenamento, em todo o sistema nervoso central ou no sistema nervoso simpático. Acredita-se que a ação antidepressiva dos IMAOs se relacione também com alterações nos receptores (em número e sensibilidade), mais até do que com o bloqueio da recaptação dos neurotransmissores. Isso explicaria o atraso de duas a quatro semanas na resposta terapêutica.

Inibidores seletivos de recaptação da serotonina (ISRS)
O efeito antidepressivo dos ISRS é conseqüência do bloqueio da recaptação da serotonina. O aparecimento de efeitos colaterais, assim como o risco de superdosagem, é menor do que nos ADT. Mesmo assim, alguns desses remédios têm ação anorexígena, levando à redução do peso corporal. São indicados para o tratamento dos transtornos depressivos, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), transtorno do pânico, transtornos fóbico-ansiosos, dor de cabeça crônica e transtornos alimentares. Alguns médicos recomendam a substância também para o tratamento do abuso do álcool.

Antidepressivos atípicos
São os antidepressivos que não se caracterizam nem como tricíclicos nem como ISRS nem como IMAOs. Alguns deles aumentam a transmissão de noradrenalina no sistema nervoso central, ao mesmo tempo que regulam a interação da serotonina com seus receptores. Outros são inibidores da recaptação de serotonina e noradrenalina. Algumas dessas drogas também costumam reduzir a sensibilidade dos receptores da noradrenalina, levando a um início de efeito mais rápido. Certos atípicos não inibem a recaptação da serotonina no neurônio pré-sináptico, mas induzem sua recaptação pelos neurônios do córtex, do hipocampo e do sistema límbico. As melhoras sintomáticas já podem ser observadas entre o 3º e o 5º dias.

FERTILIZANTES
Ao impedirem a recaptação da serotonina ou da noradrenalina, os medicamentos aumentam a disponibilidade desses neurotransmissores na fenda sináptica"

Fonte: Geraldo José Ballone, psiquiatra, coordenador do site PsiqWeb

4 comentários:

conversacomotravesseiro disse...

Muito bom!! Gostei!! Vou repassar pelo twitter. Eu estou em falta com meu post sobre distimia, mas ele sai! rsrsrs
Beijos

conversacomotravesseiro disse...

Muito bom!! Vc colocou a matéria inteira!! Gostei!!
Bjims

SMM disse...

oi veja o meu blog de síndrome do pânico. obrigado.

alysondaas disse...

oie!!!

pois é esta materia é uma das mais completas que li ultimamente. gostei mto.

qto a distimia quero mto ver seu post, pra saber mais! mas sem pressão! hihihih

SMM ja vi seu blog gostei tmo ja comentei e indiquei.

bjokas