30 dezembro 2010

VOZES: ESPÍRITOS OU MENTE?

Nunca imaginei que fosse dizer isto: mas livros de auto-ajuda escritos por profissionais competentes são maravilhosos! Nossa deixe eu repetir a frase mentalmente para ter certeza que estou assumindo isto, porque eu olhava tal assunto com desdém e ceticismo, uma "cricrizisse" sem fim, porque me influenciava por uma parte "intelectualóide" da society que rotulou livros de auto-ajuda como algo patético e digno de deboche. 

Claro, tal porção da sociedade, os "intelectualóides", ficam tanto no cabeção de cima que qualquer coisa que ameace tirá-los de lá é automaticamente atacada. Experimentada jamais, porque auto-ajuda nada mais é que um caminho que leva a pessoa ao auto-conhecimento, e a mente, ainda mais aquela intelectualmente desenvolvida, não quer perder seu posto de rainha, e quando começamos a nos conhecer, a bichinha fatalmente ficará sem trono. Mas, mais uma vez a ignorância é atrevida e se perguntarmos para os "intelectualóides" se eles ja meditaram, por exemplo, eles vão fazer uma cara de debochadores. E não, eles não tem a menor idéia do que é meditação, e não pretendem amenizar a própria ignorância, a qual escondem  atrás de respostas bem elaboradas. 
Enfim, só sei que o livro "O Efeito Sombra" (de Deepak Chopra, Debbie Ford e Marianne Williamson) veio a calhar para a nova fase do meu tratamento de depressão, já que os motivos da dita cuja foram identificados e aceitados, os perdões acho que foram conquistados e agora restou eu comigo mesma, o olhar total para dentro. Como minha terapeuta corporal disse: "as cascas mais grossas da cebola foram tiradas", e eu completo: com muito trabalho, choradeira e alívio, agora é partir para as camadas mais finas, mais internas e o livro me trouxe um resumo desse conhecimento do que é ser eu, humana...
Tão humana que durante anos, por mais que soubesse, ainda projetava a depressão em algo. No meu caso isto foi reforçado pela base "espiriteira": pessoas que se agruparam e distorceram boa parte da filosofia espírita, formando uma nova religião, embasada em uma "mente mais científica", que se não tem um diabo para jogar a culpar por seu lado mais sombrio, tem diversos espíritos atrasados e zombeteiros, bem como o peso de uma encarnação passada na qual fatalmente se fez muito mal para os outros, motivo do sofrimento atual, o qual expiará os atos menos dignos do passado longínquo, porque olhar para esta vida é mais difícil, teremos que assumir nossos erros mais frescos, aqueles que temos certeza que cometemos, mas que não queremos assumir. No meu caso não queria enxergar os erros de pessoas tão amadas e idealizadas e assim me massacrava cada vez mais.
E as vozes da mente? Para os "espiriteiros" são os espíritos, claro, mais fácil achar algo externo do que ter que se voltar para dentro e conhecer o funcionamento da mente e do nosso todo, as influências que essa própria vida já teve, a infância principalmente, essa fase de formação do ser.
Espíritos? Acredito sim, encarnação também, mas para se tratar uma doença mental e para viver a vida em geral é preciso algo mais prático e pé no chão, que nos ajude a crescer no dia a dia, que não nos isente da responsabilidade com nós mesmos de ser bom e ruim, de acertar e errar, de ser inteiro! E esse livro "O Efeito Sombra" é um manual do ser humano, sem ilusões, sem firulas, sem fantasias. 
E só para desabafar: a fantasia que mais me enche nos "espiriteiros" é que eles são tão esclarecidos acerca da existência que a missão deles é acima de tudo ajudar os outros! E eu tchonga e na época novinha, durante anos entrei nessa.
Note que escrevo espiriteiro, porque ja conheci muitos espíritas modernos bacanas.

7 comentários:

Guiiiiiiiiiiiii......iiiiiiiiiii....iiiiiiiiiiiiii......iiiiiido!!! disse...

Eu tô pegando uma birra desses intelectualóides que vc não faz idéia...

Calvin disse...

Ê sintonia boa esta, hein???

Não sei se te contei Alyson, mas faz um tempo que estava tratamento num centro espírita em Campinas. Sempre me interessei em entender "o algo além", ou mesmo sentir (que é mais importante pra mim). Nunca fui muito apegado a religiões e sim a idéias variadas que me conseguem me cativar...

Sobre o espiritismo, o centro que eu ia era muito tranquilo, bem aberto. Falavam sobre autoconhecimento, incentivavam a participação. as palestras não tinham o objetivo de OBRIGAR ninguém a CONCORDAR com nada.

Olha que eu estou neste movimento de sentir e permitir, de figa da racionalização. Quando me disseram que estava obsediado fiquei com medo... quando veio a primeira manifestação, SENTI, apenas senti, não quis pensar em nada. Só sei que meu corpo formigou... Durante o tratamento eu só sei que me sentia melhor. E quando conseguiram tirar do meu caminho o (um dos?) espírito que me acompanhava, voltei tão leve pra casa.

E não senti raiva, nem coloquei a culpa nele. Desejei o bem.

Muita coisa se mistura nesta vida, né?

Entrei de cabeça neste processo de autoconhecimento. Você falou sobre vozes da mente, né?
A primeira sensação que eu tive quando comecei a pensar que além do que se passava aqui dentro ainda tinha mais para olhar foi de medo de não dar conta...
Pra olhar e lidar com nossas vozes já é tão difícil. Esquecemos tanto da nossa origem (desta vida)...
Imagina CUIDAR de vidas passadas. De erros passados...
Imagina ainda além de lidar com energias ruins de encarnados lidar com espíritos que nos querem mal...

Muito coisa, né?

Acho que são questões que nos levam cada vez mais a entrar em contato com o nosso eu. São tantas influências que se não aprendemos a ter uma folga pra ficar com a gente, a gente pira...

Minhas ideias podem estar meio confusas, mas de qualquer maneira, estou contente por ter um lugar para falar sobre elas...

Outro pedido: Você encontrou algum centro espírita bacana aqui em São Paulo, passa pra mim o nome do centro (endereço e site, se tiver)?

Tem coisas que não entendo, mas o sentir as vezes passa a ser mais importante que entender...

GRANDE ABRAÇO!!!!

Alyson Daas disse...

guiiiiiiiiido mi amore, os intelectualóides... antigamente o povo somente pensava na cabeça de baixo, agora é a de cima que ta super valorizada... ai que porre!!!

bjoka

Alyson Daas disse...

calvin, que bom que o centro que vc ia t ajudava e era voltado para dentro!
e vc nao ta confuso não! eu passei mto por esses questionamentos pois durante a fase mais aguda da depressão mta gente dizia que eu estava macumbada, obsediada e na verdade estava era com uma doença mental terrivel e maltratada que me fez beirar a esquizofrenia e não tinha nada a ver com espiritos zombeteiros ou raivosos. mesmo pq se algo ruim ressoa é pq dentro nao estamos bem e só podemos nos responsabilizar por nos mesmos, nossa melhora, assim automaticamente espantamos aquelas energias que nada tem a ver com a gente, a nao ser casos extremos, mas aí sao outros quinhetos! e é preciso simplificar né! o povo nao entende nem o funcionamento pratico do ser humano, nao consegue estar inteiro em cada segundinho que passa, e ja quer saber como é a vida em outro planeta, como é a vida apos a morte, como os espiritos ficam perambulando por aq, ao inves de cuidarem do povo que ta vivo!
qto a centro espirita aqui em sampa de uma olhada no site do gasparetto e vou perguntar para minha medica se ela conhece e t aviso, pq eu mesma não conheço.
c cuide!!!
bjoka

Carina - Comédias da Vida Canina disse...

A-MEI!!
Tenho contato com tantos "espiriteiros" que perdi a conta! E enquanto ficam preocupados em evoluir, ajudar o espírito irmão evoluir, são tão escurinhos por dentro... Levam tanta luz para o próximo que esquecem de iluminar a si próprios. Mas isso é justamente porque iluminar a si róprio requer olhar para dentro. E o medo de ver a sujeira que tem lá? E o medo de limpar?
E se vc olhar bem, todas as religiões cristãs falam muito no próximo, próximo, próximo. Jesus pregou muito isso, mas as pessoas se esquecem que a coisa que Jesus mais fez na sua vida foi MEDITAR.
Enfim, me interessei muito pelo livro!! :)

Beijão!!

adiniz disse...

É isso ai garota; boto fé em vc.

Aparecido.

Alyson Daas disse...

e eu tb boto fé em nós qdo fazemos isso mesmo Carina:

meditamos!

alias Ca eu amo o jeito que vc escreve!!!

até mais adiniz e Ca!

bjoka