10 dezembro 2010

SEDE DE JUSTIÇA

Como uma pessoa que ja beirou a esquizofrenia eu digo: conte com a loucura do outro! 

Aos 13 anos eu ja apresentava fortes sintomas e crises depressivas, meu pai que deveria ser uma figura de confiança e  cuidar da filha que fez, ao contrário inspirava medo e ódio. Ele que era um médico renomado aos olhos da sociedade, em seu íntimo era uma pessoa completamente imatura emocionalmente e perturbado, que jamais deveria ter feito filhos, porque se alguém não é capaz de ter e buscar equilíbrio em seu próprio íntimo, obviamente não está apto para formar uma família saudável. Aliás família normalmente já é um pocinho de complicações, imagine uma formada por pessoas com patologias mentais que não se tratam! Vixe! Sou produto disto!
Bom, um dia nessa época do início da adolescência, me vi sozinha com ele em casa, aquele ambiente pesado e insalubre. Eu estava assistindo TV e já incomodada com sua presença, quando ele simplesmente mudou o canal para um de filme erótico e se deitou no sofá. Eu fiquei ali, misto de medo e indignação. O telefone começou a tocar e eu corria para atender porque sabia que era uma de suas amantes, o clima foi ficando tenso, até que ele nao se importou mais com o telefone porque resolveu se masturbar na minha frente enquanto assistia o tal filme. Eu corri para a cozinha, e quando dei por mim estava com uma faca gigantesca de churrasco nas minhas mãos, se fosse do nordeste teria pego uma "pexera" mesmo!
As vozes na minha cabeça me confundiam, aquelas vozes da mente: uma queria que eu matasse ele, outra que eu o confrontasse com a faca na mão, outra que eu o envenenasse mas a que falou mais alto foi a do bom senso, que me dizia insistentemente que eu largasse aquilo e saísse correndo de casa. Minutos depois estava na rua perambulando. 
Cheguei muito perto de tentar matar alguem, ainda bem que nao o fiz! Assim como meu próprio pai se descontrolou na frente da filha adolescente, ele sofria de compulsão sexual e não se tratava, fora que era agressivo e desagradavel. 
Mas como a sociedade lida com essas pessoas que tem uma mente doente e debilitada, porém são capazes de se transformarem em médicos ou em qualquer outro profissional, escondidos em corpos saudáveis e posições aceitáveis? 
A sociedade tem sede "justiça" como pude constatar com algumas reportagens: 
aluno mata professor em BH, o advogado alega que ele é bipolar e esquizofrênico assim será fácil livrá-lo da prisão; alunos da faculdade dizem que o rapaz realmente era aluno-problema e que ja havia sido expulso de outra faculdade - os comentários dos internautas no site aonde a notícia foi postada são raivosos e muitos superficiais, ja que a maioria não tem a menor idéia do que é o transtorno bipolar e a esquizofrenia.

Em dezembro de 2009 um personal trainer agrediu um cliente da Livraria Cultura com um taco de baseball, este mesmo agressor havia destruído o vidro da tal loja meses antes.
Por que então essas pessoas estavam perambulando por aí? Sem tratamento eficaz?
Ainda há muito que se esclarecer a população sobre os disturbios mentais... Pela trilésima vez: depressão, bipolaridade, panico, esquizofrenia, etcetcetcetc não são frescuras!!!! 

4 comentários:

Marcel Lucas disse...

É complicado, eu mesmo antes de ter depressão confesso que se alguém me falasse que passava por uma doença como a depressão eu provavelmente não acreditaria. Só quem sente/sentiu na pele sabe o que é... Eu as vezes fico perdido e achando que as coisas ruins que acontecem com uma pessoa (ela não se dar bem na vida na por exemplo) são culpa de uma possivel depressão que ela possa ter. Sei que ta muito confuso o meu comentário, assim como eu tb. Desculpa, deu uma vontade de desabafar e o pior é que eu nem sei o que...

Alyson Daas disse...

oi marcel!
nao tem nada confuso no seu comentario, não! entendi bem pq eu tb sentia o mesmo: nao acreditava nem que eu mesma tinha depressão, nao acreditava que todo o mal estar era resultado de uma doença.
por isso insisto na importancia de falarmos no assunto, pq a a maioria das pessoas nem acredita que depressão é doença! e quem é acometido por ela sofre em dobro: com a doença e com os preconceitos que enfrenta!
desabafe sempre!
bjoka

Carina - Comédias da Vida Canina disse...

Tenho uma intolerância tremenda a sons graves e agudos. Me tiram de órbita, mesmo. E tenho um vizinho nos seus 6 ou 7 anos que adora berrar e latir. Sim, latir. A história dele é uma tristeza, bem típica de quem jamais deveria ter colocado um filho no mundo.

Na última consulta brinquei com a psiquiatra que, qualquer dia esganaria-o, e que ainda teria pena abrandada por ser doente. Resposta dela: teria mesmo porque eu faria o laudo com certeza!

Eu brinquei, ela falou sério. Compreensão daquilo que passamos é TUDO!!

Beijocas!!
Carina

Alyson Daas disse...

é mesmo Ca!andar em um quarto bagunçado escuro é mto mais dificil do que se ele esta bagunçado mas com a luz acesa...
bjoka