23 dezembro 2010

ERA DO CABEÇÃO

Na cidade de interior em que fui criada, tinham vários louquinhos famosos que perambulavam pelas ruas e lembro que sentia secretamente um medo gigantesco de ficar como eles. Uma vez, depois de junto com amigos ter debochado de um dos birutinhas, chorei muito e implorei perdão à Deus, pedindo por favor que eu não acabasse como eles. E olha que nem sabia ainda que tinha depressão, ou seja lá o que realmente eu tenho, tive, enfim.

O fato é que com o tempo percebia quando estava para perder a cabeça, embirutar mesmo e corria para ajuda terapêutica.
Ontem, depois de ter visto um filme no qual a moça se auto-mutila e acaba surtando, fiquei pensando: por que justamente as doenças mentais, síndromes e disturbios da cachola tem se acentuado tanto em jovens?
E concluí que deve ser porque a mente ficou tão sobrecarregada, tão super desenvolvida que naturalmente a conseqüência é que a bichinha dê curto circuito. 
Os jovens com doenças mentais são o resultado das gerações anteriores que foram mal cuidadas e obrigadas, pelo cenário mundial, a se apegar totalmente a lógica e "segurança" que a mente proporciona, se esquecendo de todo o resto!
Eles estavam nos preparando para a "era do cabeção" - o cabeção de cima, que fique claro! - quando a sociedade passou a somente valorizar a mente. E as neuroses explodiram e os excessos se instalaram!
Excesso de informação, excesso de gente, consequentemente excesso de competição, excesso de culto ao intelecto e à racionalidade, ao ceticismo, que vieram já acompanhados da culpa cristã ou outro modelo, culpa é culpa, que vem junto com os deves-e-não-deves das religiões, da repressão...
Vixe! Imagine as famílias sendo formadas por pessoas "cabeçudas", que mesmo pensando que não, ignoravam todo o restante do que faz parte de nós seres humanos: o corpo físico, emocional, sentimental, vital, mental (com o ego, superego, etc,etc).
Então chego a conclusão: é hora de resgatarmos o culto ao ser humano inteiro, é hora de abandonar mesmo velhos conhecimentos e abrir caminho para o novo. É hora de aprendermos a lidar com a gente mesmo, nosso funcionamento, é hora de olhar para dentro, porque até mesmo os atos altruístas podem ser conseqüência de um excesso de ego, como aconteceu comigo: eu estava péssima, mas como a sociedade vê com bons olhos aqueles que ajudam os outros e eu fui condicionada assim, então mesmo não dando conta de mim fiz voluntariado em centro espirita e em asilo, até ouvir da terapeuta que eu devia primeiro era cuidar de mim. 
É o que venho fazendo, somente porque vivi situações limites, impulsionada por uma doença terrível, que tem me ensinado demais!
Mas agora ela pode ir embora, está me ouvindo dona?

2 comentários:

Carina - Comédias da Vida Canina disse...

Clap clap clap

Penso exatemente assim a respeito do que tem causado doenças mentais em tanta gente e cada vez mais cedo. Assino embaixo.

Bjão

Alyson Daas disse...

ai Ca, eu to na fase de descabeçar! hahahaha
chega dessa racionalização mala!
cruzes como ela atrapalha, como a mente fica enchendo e se achando!
af!