17 outubro 2010

SACANAGEM SABOTAGEM!

Durante a maior parte da minha VIDA tive que viver como se estivesse calçando sapatos quatro números menores do que o tamanho real de meus pés, que amassarocados ainda eram obrigados a fazer uma peregrinação morro acima, enquanto BOPE e traficantes trocavam tiros e granadas. De todos esses 20 anos que a depressão agressiva me acompanha, os momentos em que pude trocar os calçados sufocantes por um par de confortáveis pantufas estofadas foram poucos, talvez uns 3 anos apenas.
Bem- Estar para mim é: me sentir bem na minha própria pele, me cuidando com carinho e respeito, tendo disposição para trabalhar, estudar, descansar, me relacionar (até mesmo com os animais e plantas!) amar, rir, enfim viver! Sem aquele peso, aquele excesso de crítica, aquela negatividade, que talvez os normalóides estressados sintam um pouco, e a depressão me fez sentir em demasia!
Somente quem passa por isto sabe o que é esse mal estar...
Este ano de 2010 melhorei bastante, para tanto empreguei muito, mas muito esforço mesmo. As vezes nem sei como consegui chegar até os 29 anos e ter feito tantas coisas e estar finalmente arrancando as raízes da depressão. Deve ser a tal da resiliência, da qual já falei em um post.
O fato é que muitas vezes pensei em desistir e hoje nesse dia de sábado depois de uma prática de Yoga, senti como melhorei e como as pantufas são gostosas! Então relembrei de um momento em que quase sabotei meu tratamento, trocando os sapatos 4 números menores por um que fosse apenas dois números menores, pois acreditava que jamais conseguiria enfiar meus pés em uma pantufa novamente.
Bom, lá por setembro de 2009 estava há um ano e pouco tomando os florais, tive uma melhora mas ainda nao me sentia bem. Pensei em voltar a buscar ajuda na alopatia e contei para a médica, que também é a minha terapeuta dos florais, sobre meus planos. Esta médica inclusive já sofreu de depressão e sindrome do panico, o que a levou a estudar os florais, pois mesmo diante de seu ceticismo foi o que a ajudou a melhorar. Assim, ela assumiu o risco e me pediu que esperasse pelo menos mais uns tres meses. Resolvi esperar, no entanto sentia que ainda faltava um elemento para catalisar a minha melhora. Foi quando conheci uma massagista excelente e fui descobrindo ao longo das sessões que na verdade ela era uma exímia terapeuta corporal. Pronto, desisti da idéia de largar os florais, e resolvi largar minha inquietude e impaciencia pois estava finalmente com os tratamentos que se adequavam para mim: florais brasileiros, parapsicólogo e terapeuta corporal. Às vezes constelação familiar e o jogo da vida Maha Lilah, bem como a meditação que passou a ser uma necessidade diária. Tudo aliado a prática de Yoga e caminhadas algumas vezes por semana.
Adquirir tais hábitos foi uma conquista, precisei recomeçar várias vezes! Pois voltar ao modo operandis antigo é muito fácil! E a depressão, muitas vezes o entorno também, me murchavam tanto e eu estava tão acostumada a viver mal, a viver no mínimo, que achava que se pudesse me livrar um pouquinho só do mal estar para poder cumprir minha função de normalóide já estaria bom.
Porém meus tratamentos vem agindo na consciência, a qual vem despertando a cada dia e há muitos recursos à disposição para acordar a consciência!  Inclusive gratuitos! O X da questão foi não desistir de me conhecer!

6 comentários:

Calvin disse...

Ai ai... Que foto mais bonita esta sua! Senti que NESTE MOMENTO você realmente sentiu PRAZER em SER (e estar na pele de) quem você é!
Vou comentar mais depois...
TEXTO MUITO BOM!!!!

Beijoca cara de paçoca!

Calvin disse...

Ai ai...
Eu entendo bem o que é isso...
E eu com minha mente complicada, e meu ego que insiste em gritar alto as vezes, pensava que comigo seria diferente, que venceria a depressão rápido. Quando lia os comentários das pessoas que ficam ANOS, as vezes a VIDA inteira nesse processo, eu pensava, comigo não, comigo vai ser diferente. Sentia medo de ficar assim pra sempre, mas ao mesmo tempo uma esperança de um dia tudo voltar a ficar bem, meio como um passe de mágica.
Mas temos que mergulhar fundo...E as vezes queremos TANTO. Esperamos TANTO de nós mesmos... Relembramos as fantasias que criávamos (e continuamos criando quando temos energia) sobre ser alguém que tem uma vida gostosa de viver ( igual vc já escreveu sobre o filme preciosa, e o que sentia sobre também agir assim).
O que mais quero pra mim é DISPOSIÇÃO, continuar cuidando de mim mas tendo mais atenção com o meu EU no mundo, sabe? respeitar a introspecção, mas permitir a ação na vida REAL.
SEM PESO... SEM A CULPA QUE EU FAÇO BROTAR, regando sempre a exigência tão forte que tenho comigo mesmo.
Cada vez mais eu percebo... SÓ QUEM PASSA POR ISSO SABE... como vc disse!
Eu cheguei aos 27... Ainda sem nenhuma tentativa de suicídio... Mas com mais choros e desesperos do que eu achava que seria capaz de viver... Como estou dramático hoje!!!
Mas a idéia de suicídio bate na minha porta sempre que fico mal... e isto é triste... porque quando estou bem vejo tudo de bom que tenho para viver e que sou moleque ainda... que posso viver uma vida boa e feliz pra mim!
Estava pensando em largar a Fluoxetina... Vem esta idéia na minha cabeça sempre... Mas insisto, continuo tomando... As vezes penso que o remédio não adianta, ou até que ele me deixa pior, mas quando olhamos com calma, dá pra ver que existe uma melhor sim... Não no ritmo que eu queria... mas ela existe!!!
Temos que focar nosso olhar em nós mesmo. CUIDAR DA GENTE. Aceitar cuidado e carinho das pessoas que conseguem oferecem de uma forma que a gente permita. E INSISTIR em nós mesmos!!!
Buscar a nossa combinação de treinamento: no meu caso escrita, duas terapias de abordagens diferentes, remedinho, floral (parei um pouco, inclusive acho que foi isso que me fez voltar a ter crises), dançar, "namorar" gostoso, musculação, boxe, yoga (um na sequência do outro para dar o contraste tão ótimo!!!), e principalmente meditação e calma para pensar positivo sobre mim!
O hábito é difícil de ser criado e mantido, vai embora fácil fácil... E QUERO CONTINUAR TENDO ENERGIA PARA RECOMEÇAR, aceitando que faz parte do processo. E que durante a vida estamos morrendo e renascendo várias vezes...
EU INSISTO EM ME CONHECER! Não desisto também não!

GRANDE ABRAÇO MEU!

LuZ disse...

Amei o texto!
Realmente vc ja fez, conheceu e conquistou muita coisa na sua caminhada, tudo com muito trabalho e perseverança, e essa ultima foto é muito gostosa, ilustra bem tudo isso!
Te admiro muito!!!
Mil beijos adocica!

Quem faz as postagens: disse...

oi meus amores,

adoro a visita de cvs e adoro visita-los mesmo que virtualmente!

é calvin a gente chega uma hora em q é forçado a aceitar tal fragilidade. e mesmo aceitando as vezes brigamos um pouco com a gente mesmo e isto faz parte.

e calvin e adocica, mesmo com tanta melhora ainda tenho crises, mas elas estão diferentes e como calvin diz é preciso insistir em nos mesmos!

bjoka

ligiamrsp_1999 disse...

Oi Ana! Sei bem o quanto é difícil enfrentar as crises... Vc sabe q eu tenho transtorno bipolar e já tive muitas delas, tanto de depressão quanto de euforia, desde criança. Já pensei em me matar algumas vezes, mas só fui "oficialmente" diagnosticada há um ano e meio. Já tomei florais, tomei alopatia por um ano (quetiapina e topiramato - 200mg por dia), mas abandonei tudo. A Yoga me fez muito bem, como a meditação, dieta desintoxicante, entre outras coisas que acabaram cedendo espaço a outras. Mas o que tem me segurado, por enquanto, são os encontros com minha terapeuta quando paro para me olhar, me analisar e vejo que preciso cultivar em mim coisas que me fazem tão bem como a música, a literatura, poesia. Sem medo de parecer ridícula, sem julgamentos, sem censura. Para mim, cantar é o melhor remédio, pois quem canta seus males espanta e, ao contrário da medicação, não me torna um robô. Escrever também ajuda muito, embora não impeça ninguém de fazer alguma besteira. Assim, tenho participado de corais, oficinas de cinema, de música, o que aparece eu aceito de bom grado. E aos poucos vou libertando bichos que ficaram aprisionados pelos rótulos.
Acredito que o que vc faz discutindo e divulgando o tema é de extrema importância para quem sofre do mesmo mal e se identifica.
Admiro muito seu trabalho.
Beijos
Ligia Salomão

Quem faz as postagens: disse...

ligia,

menina do céu!!! mais uma vez digo: que coisa! a gente cresceu tdo na mesma cidade e é incrivel como aos olhos dela a gente parecia "bem". fora vc, ja conheci outras pessoas que tb sofrem dessas doenças e q a gente convivia mas nao sabia da outra. judiação! tb diagnosticada so agora! aiaiaiaiai.
por isso que a gente tem mesmo que se juntar pra ir levando informação!
obrigada pelo comentario pq me deixa mais certa da loucura que ando fazendo da minha vida... hihihihi
c cuide! e isso mesmo, a arte é a mãe das terapias e das meditações!
bjoka