03 março 2011

A IMPORTÂNCIA DOS AMIGOS

Ontem faltou luz, aquela das lâmpadas mesmo. Ela ficou umas duas horas fora e me deu a oportunidade de organizar meus pensamentos sobre meu histórico com a doença Depressão, minha companheira desde os 8 anos de idade - mais de vinte anos com a danada! Pensei nos passos pelos quais passei, as ações que tomei, minha experiência toda e o que sinto sobre esta ser a doença que mais vai aterrorizar nosso planeta daqui pra frente. 
E então uma cena que vivi me veio à cabeça: tinha 18 anos - época em que fui diagnosticada com depressão - estava na aula na faculdade e, como sempre, tive uma crise  e saí da sala em direção ao estacionamento para pegar meu carro. Percebi que uma menina da minha sala, que eu não conhecia direito, estava vindo atrás de mim. Ela me chamou e falou que não entendia o que eu tinha, que ela até tinha perguntado pra mãe dela sobre isso e que ela ficava triste de me ver assim e que não sabia como ajudar, mas o que eu precisasse ela estaria ali e me deu um abraço forte.  Desse dia em diante ela e outras meninas, todas nessa idade de 17-19 anos, passaram a me encher de apoio e carinho. Uma delas se informou bastante sobre tratamentos disponíveis na região e me levou a psicólogos. Isto chama-se amor, amor que fez nascer amizades lindas que tenho até hoje. 
E hoje recebo uma mensagem da querida Julien, que já teve depressão pós-parto, sobre um post do blog "A psicóloga" que é sobre a importância dos amigos para quem tem depressão. Tem dados muito interessantes! Boa leitura! 
"A depressão é muito mais do que um estado de tristeza profunda. Ainda que seja normalmente a tristeza que chama a atenção daqueles que rodeiam a pessoa deprimida, esta é uma doença altamente incapacitante e que não prejudica “apenas” o doente – afecta as relações familiares e sociais, podendo conduzir ao isolamento social e ao agravamento dos sintomas. Como tenho referido tantas vezes, é fundamental conhecer este transtorno e prover àqueles de quem gostamos e que possam sofrer desta perturbação o melhor apoio possível. De resto, alguns estudos recentes enfatizam tanto a importância dos cuidados dos familiares e dos amigos do doente de depressão que os comparam à ajuda especializada. Segundo alguns investigadores, nos casos de depressão leve e moderada o apoio destes cuidadores é mais eficaz do que a intervenção médica.

Como se sabe, a depressão é tratável mas existem muitos casos resistentes à intervenção dos antidepressivos e da psicoterapia. Algumas pesquisas indicam que um terço dos pacientes com depressão continua a evidenciar sintomas significativos depois de experimentar 4 medicamentos diferentes. Mais: cerca de metade das pessoas que recuperam da depressão através do uso de antidepressivos sofre uma recaída no prazo de um ano.

Aparentemente, nos casos de depressão leve e moderada, a existência de uma ou mais pessoas que apoiem o doente com depressão produz um alívio da sintomatologia superior àquele provocado pela intervenção farmacológica, equiparando-se aos efeitos da psicoterapia cognitivo-comportamental, em que o paciente aprende a gerir os seus pensamentos e as suas emoções de forma racional.

O apoio das pessoas mais próximas do doente diminui o isolamento social, atenua os eventos stressantes, ajuda o paciente a lidar com a informação médica e provém modelos de comportamento saudáveis. Na sequência deste apoio é expectável que a pessoa deprimida se sinta mais capaz de cumprir o tratamento, de cuidar de si."

5 comentários:

luiza disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Calvin disse...

Tô precisando de apoio e de AMIGOS...
Abraço!

Alyson Daas disse...

nossa tava pensando em ti!!!
vou t mandar email!
bjoka

Sérgio Paffer disse...

Esse é meu calcanhar de aquiles.Como sempre fui uma pessoa mais retraída,acho que isso deixa o campo mais fértil para o isolamento que a depressão causa no doente.E no meu caso um grande gatilho é a dinâmica familiar altamente doentia.Tenho dificuldade extrema de me expor e minha auto-estima por enquanto ainda tá em baixa.Vários terapeutas por quem já passei,me disseram que,apesar de apresentar um quadro de depressão,sou a pessoa mais saudável da casa,pois tenho consciência da doença e busco tratamento.Mas realmente amigos de verdade(coisa rara) fazem a diferença.Admito minha incapacidade de me sociabilizar.Mas admito o meu desejo de mudar isso,pois a solidão é muito triste e eu não quero mais isso pra mim.No meu caso,estou rodeado de pessoas e estou muito só.Abraços.

Alyson Daas disse...

sérgio esse caminho qdo a cosnciencia começa a despertar é mesmo solitário.
tenho otimos amigos, poucos mas verdadeiros, porem não consigo me expressar com eles direito! talvez pq nao precise e isto é o que é bom de amigos verdadeiros! mesmo assim passei uns bons anos bem sozinha e isolada. vou fazer um post sobre isso!
qto a familia eu amo e sei q sou amada, mas não tenho afinidade com a maioria dos membros e eles comigo.
e então descobri como o amor é bonito, pois nao requer nem afinidade!
bjoka