24 fevereiro 2010

DEPRESSÃO PODE SIM LEVAR A LOUCURA

 De tudo o que encarei sobre minha situação paterna durante o tal curso de atuação, o mais doloroso veio após ser confrontada com a memória de uma situação que despertou em mim a dúvida: será que cheguei a ser abusada sexualmente por parte de meu pai e tal memória foi distorcida, apagada, incinerada?
  Abusada moralmente, emocionalmente, sentimentalmente, "blablablaente" fui constantemente, mas fisicamente?

  A dúvida surgiu a três anos atrás, diante de tanto lixo boiando na minha superfície a dona depressão, que adora uma sujeira, veio com tudo e voltou a cortar os dedos que me sobravam, a arrancar a bola de meu olho, a rasgar minha pele, a me torturar sadicamente, e para me ajudar a tal dúvida me martelava e mil outras coisas me puxavam para baixo, para o negativo, para tudo o que é sombra e escuridão, para o que nós seres humanos podemos ter de pior e mais pesado, dei de cara com o lado podre e arrebentado de ser humano, o meu humano.
 Depois desta reviravolta no lixão estava beirando a loucura e foi assim que fui parar no meu parapsicólogo: transtornada, por dentro um tsunami, por fora apenas um mar com algumas ondinhas e aos prantos pedi pelo amor que ele me ajudasse a parar as vozes na minha cabeça, que eram minhas e não de encostos e obssessores como alguns espíritas diziam, pois se fosse seria bem mais fácil, resolveria meu caso com reuniões de desobssessão.
    Porém o fato é que EU estava me obsediando e como me livrar de mim mesma, de todas essas partes em descompasso, da mente doente, da doença depressão que só me piorava, como me livraria de meu tormento que vinha lá de trás, emoções que chegavam atrasadas, porque não foram exploradas quando apareceram e sim reprimidas devida a uma anulação, a uma insegurança que era reforçada pela  tal culpa cristã e suas frases como honrar pai e mãe.
     Emoções velhas que chegavam 15 anos depois querendo ser colocadas para fora a todo custo e que não mais caíam no arranjo das fantasias que criava para poder simplesmente ir vivendo. Não! Elas não eram mais enganadas e queriam o direito de serem experimentadas.
    Não sei como sobrevivi a esses episódios, quando a realidade me confrontou e fui descobrindo que a depressão, antes tão sem motivo, tinha sim mil motivos de ser.
   Depois li um estudo que dizia que realmente a depressão pode evoulir para outras doenças mentais, ainda bem que consegui achar tratamento que me ajudasse a tempo, senão numa altura dessas poderia estar matando, roubando, "enloucando" por aí, mas não! Estou aqui escrevendo no meu blog!
  
PS: e não cheguei a ser abusada de fato, mas meu papai sim enlouqueceu, pois que se masturbou na minha frente quando eu tinha 12 para 13 anos, de propósito.

12 comentários:

carinabeatriz disse...

Oi, Alyson...
Passa lá no meu blog e comenta pq hj eu fiquei carente, rs. Mas é sério.

Quanto ao seu texto, mexeu muito comigo. Passei por uma situação muito parecida com a sua. Mas comigo, não foi meu pai. Foi meu irmão. Que não enlouqueceu, era só um adolescente com hormônios à flor da pele. Mas no dia, eu nem entendi o que estava acontecendo. Era uma criança de 9 ou 10 anos. Só fui entender poucos anos depois, quando comecei a ler revistas de adolescente (Carícia, Capricho) e aprendi o que era masturbação. Mundo louco e, ao mesmo tempo, pequeno, né? Como se as casas só mudassem de endereço, mesmo.

Agora eu tô mal, muito mal. Não consigo conter o choro. Mas é um choro diferente: ele dói pra sair, mas leva consigo um monte de coisa ruim. É como uma libertação. Eu costumo chamar esses momentos como a borboleta que sai do casulo: dói pra caramba romper a casca, mas sem isso, a gente não consegue ter força nas asas pra sair por aí voando livremente, e morre de fome por não saber voar. Mas como dói...
O bom é que eu sei do que eu estou me libertando: do medo da rigidez dos meus pais. Que merda que é essa vida em que a gente tem que ficar sofrendo e consertando coisas de quando éramos crianças, inocentes. Injusto? Sei lá. Acho que ninguém tem culpa, cada um tem sua dor.

Chega de falar... Pronto, aliviou!!
Obrigada por me "ouvir"... =)
Bjoks!!

Carina Beatriz disse...

Linda!! Obrigada pela visita!! Fiquei muito feliz e chorei de novo… rs dessa vez de emoção!! Mundo doido, esse virtual, em damos as mãos sem nem nos conhecermos pessoalmente… mas adoro!!

Obrigada por me ouvir, obrigada por falar, obrigada pelas dicas e vamos continuando nossa caminhada. Acho q vc tem a mesma idade que eu, então torço para que nossa versão 3.0 seja muuuuito melhor!! rs

Bjãozão

Bruno disse...

Oi!
Estava lendo uma reportagem da época e acho que tem muita relação com o que colocou aqui. Já assistiu o filme preciosa?
o link para vc ler a reportagem inteira: http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI122942-15230,00-O+PERIGO+DA+HISTORIA+UNICA.html

Olha que bacana "A versão dos pais sobre nós é a primeira versão narrativa da vida de cada um. E ela nos marca para sempre. Para o bem – e para o mal. Seja pela displicência, seja pela opressão. Quando é para o mal, se torna uma prisão. Não somos o que podemos vir a ser, mas um estereótipo fechado, vendido como a única verdade sobre nós mesmos. Este é o olhar que nos transforma em pedra. Afinal, as ovelhas negras de cada família são ou tornaram-se?"

"Se você estiver atolado na vida porque lhe fizeram acreditar em uma única versão, reaja. Não acredite. Exercite a dúvida sobre si mesmo – e sobre o outro. Será que é assim mesmo? Será que isso é tudo o que sou? Será que é só isso que posso ser? Tornar-se adulto é ter a coragem de se contar como alguém múltiplo e contraditório, um habitante do território das possibilidades."

Eu já me senti louco não conseguindo fazer o que antes era tão fácil pra mim. Com meus pensamentos confusos e o corpo tremendo, repetindo atitudes como lavar várias vezes o cabelo no banho com a dúvida de ter feito ou não, e a mesma coisa sobre conferir se fechei portas. Me sentia deslocado do mundo.
Mas ao mesmo tempo comecei a questionar de forma mais constante e cada vez mais organizada o que EU ACHAVA SOBRE MIM MESMO.
Perceber que ainda não defini pra mim sentimentos tão importantes como o AMOR. Achar que não sou capaz de sentir isso. Ou ver que guiei minha vida num rumo diferente do que minha alma pedia. Ignorava ela. Agora estou com o corpo doente. Mesmo com vontade de fazer as coisas, meu corpo perde descanso. Pedi arrego. E posso perder mais coisas que conquistei. Mas ao mesmo tempo mexi em coisas que estavam lá.... BEM QUIETINHAS E GUARDADAS A 7 CHAVES...
E estou reavaliando as coisas...
Você também está fazendo isso.
E vi que por mais que doa, e dê uma sensação de estar deslocado do mundo, por outro lado faz bem... faz bem pelo olhar de si.
E como vc se vê? È engraçado algumas coisas.. Nossa auto imagem. Vc como depressiva já fez tanta coisa, já viveu, já sentiu, já experimentou, muito mais coisas boas e ruins que outras pessoas que não passaram por isso. VIDA NORMAL?
Pra mim é difícil olhar pra mim com o olhar do outro... e principalmente com o olhar do outro que me vê com carinho e admiração.
Estou lendo dois livros legais, que estão me ajudando a PENSAR/SENTIR melhor pra ENTENDER/ACEITAR/SUPERAR/CONVIVER com eu mesmo, com o que sou hoje. "Mais platão menos Prozac" e "Pergunte a Platão". De início adorei os livros, agora estou na fase de achar que não é tão bom, que as questões ficam jogadas e abertas. OS DIAS SÃO DIFERENTES, nÈ? De qualquer forma não desisti ainda de mim.
Li umas coisas de terapia bioenergética e curti, me disse coisas que em meses de terapia eu não discuti. Peguei a dica aqui no seu blog. Vou comprar pra ler direito, porque li algumas partes de vários livros do Alexander Lowen. Ficou pela METADE.
ABRAÇO!

alysondaas disse...

muito bacana seu comentário!!! espero que vc melhore!!! nossa mente é fogo...

bom eu assisti Preciosa e me identifiquei muito com uma coisa: nas fantasias que criava para fugir da realidade, fugi tanto que tive que buscar terapias que me trouxessem para o presente, aqui e agora...

bjokas

Anônimo disse...

não eu, mas minha filha foi abusada por meu marido e seu pai. Não chegou a introdução mas ao sexo oral. Parece q ela superou, mas eu não. Tenho continua vontade de me matar e ja tentei varias vezes. Mas o q é tentar? fugir de uma situação e criar outras. Divorceei-me, deixei minha filha longe do canalha, não fui a policia pelos outros filhos para eles não sofrerem. Hoje, excluindo a mim, acredito q estão tds bem. O pai mora com minha filha. Ah, ah, ah, é o mundo podre em que vivo.

Quem faz as postagens: disse...

oi anonimo,
que situação... mas como tdo na vida passou!
olha nao gosto mto de dar palpite, mas senti vontade...
vc tem tda razão qdo diz sobre tentar se matar: "fugir d uma situação e criar outra", acredito que o melhor nesses casos é não acumular problemas, portanto lidar com a situação que originou tdo isso.
é uma realidade complexa, pois vc lidou com um marido que te traiu de ma maneira completamente agressiva como homem e principalmente como pai dos seus filhos! e nao falou nada e qdo a verdade nao é encarada (o que a maioria das familias fazem) o desentendimento, mesmo que velado, paira no ar, pois cada qual vivia na mesma familia porem com uma percepção da realidade distorcida do que realmente foi real!
Agora passou! é tempo de se perdoar, perdoar filhos, enfim! deixe isso ir embora, mas para tanto é preciso realmente ir a fundo em vc com o peito aberto para se investigar e descobrir pq isso realmente te afetou tanto a pto de vc querer tirar a propria vida, aonde em vc tudo isso te pegou tanto? mais ma vez: é no autoconhecimento que a gente acha realmente as respostas e consegue dar a volta por cima!
nao desista de vc!
bjka

Anônimo disse...

oi tenho umma filha com depreção rstou desesperada ja levei ela ao medico mas acho os remedios demoram pra fazer efeito ate agora n vi resultado ,eu tmb estou ficando deprimida por isso alguem pode me ajudar. Gostei muito das iformações que me passaram

Ana Maria Saad disse...

oi anonimo,
seguinte: os remedios demoram pra fazer efeito e muitas vezes ate ajustar a dose e o tipo de remedio demora mais ainda. hj em dia a abordagem que faz sucesso no tratamento, como no meu caso, é a medicina integrativa q une a modernidade dos remedios com a medicina indiana e chinesa, praticas milenares como acupuntura, massagens, yoga, meditação, terapia corporal. alias a terapia corporal é essencial no tratamemto da depressão! procure tratamentos alternativos e complementares alem dos remedios, se abara para novos conhecimentos e caminhos, que a melhora é possivel! mas para isso é preciso aliar tratamentos a medicação! bjoka

Anônimo disse...

bom resolvi desabafar com voces pois nao sei com quem desabafar e nao seria tao humilhante.tenho apenas 13 anos de idade sou uma novata na adolescencia to chegando agora,porem motivos da minha pe adolescencia e em parte da minha infancia me pertubam ate hoje. no começo deste ano minha irma mais velha saiu de casa eu acho que esse é o motivo para tanta dor e culpa.muitos sentimentos ruins tomam conta de mim como:tristeza,culpa,dor,revolta,impotencia e principalmente vontade de me matar.minha mae ja marcou psicologo para mim so que o problema é que eu nao quero ir pra mim isso seria atestado de loucura o que eu AINDA nao estou pronto desabafei ufa

Ana Maria Saad disse...

oi anonimo q desabafou ainda bem!!!
vc visitou meu blog e postou comentario, vc falou comigo q sou bem biruta, ainda bem! pois em um sociedade doente como a nossa, com valores invertidos, desumanificada, ser "normal" é atestado de ser robô! portanto va sim no psicologo, pois vc ja tem atestado de ser humano! isso q vc tem faz parte da nossa condição humana, ser louco é outra coisa! se vc fosse louco nao teria consciencia, nao teria clareza para escrever esse comentario e nao teria a preocupação d enlouquecer! mas se vc nao for se tratar agora podera sim acabar enlouquecendo, como quase aconteceu comigo, e por enlouquecer quero dizer qdo a gente rompe com a realidade, como os louquinhos q vemos na rua! va no psicologo, mas va alem! busque a medicina integrativa, q alia a medicina convencional com tratamentos tradicionais como a medicina indiana e chinesa. busque terapia corporal, yoga, acupuntura, meditação, massagens, arte terapia, esportes, etcetcetcetc! busque essa combinação de profissionais q te ajudarao a se conhecer melhor, a trazer a tona sua historia de vida, a se libertar dos traumas! encontre seus tratamentos para q vc se conheça melhor e possa ser cada vez mais vc! c cuide! bjoka

Anônimo disse...

ola meu nome é Daianny o testo mecheu comigo,, pois é quase igual tenho depressão me tranquei num mundo.. q me tortura mentalmente e psicóligica é uma coisa meio doida não é tipo vc é humilhado sofre bullyn moral e verbal.. quando é criança e se conforma, de uma maneira de criar vozes imaginarias dizendo pra vc morrer..
se fere..
tenho 12 anos..queria ajuda..
ja pensei me suicida mas ...vo pro inferno
e nem sei se existem tantas perguntas...
q existem no mundo..
q acaba me enloquecendo

Anônimo disse...

Ir para o psicologo NAO é atestado de loucura. Isso é um preconceito antigo. Todo mundo deveria ir pro psicologo, porque afinal, ninguem é normal.