11 agosto 2009

SOBRE O ESPIRITISMO E O QUE NÃO GOSTO

Ontem um amigo me contou da amiga que se jogou do 13 andar: causa do suicídio ela era depressiva. Ele comentou que a família dela sempre foi muito bacana, amorosos, todos espíritas... ou seja ao invés de tentarem achar um bom psiquiatra e psicólogo levavam a garota para falar com médiuns, faziam sessões de desobsessão, quando o problema dela era ela com uma doença.
Eu mesma fui criada no espiritismo, li os livros de Allan Kardec e Chico Xavier (admiro muito ambos), estudei a filosofia e nunca entendi porque espiritismo era tido como religião, era muito nova não sabia... a relação de espiritismo e depressão ja estavam martelando na minha cabeça a tempos então minha irmã me mandou um email muito bacana com a visão espírita sobre doenças incluindo depressão.
Eu respondi o que achava: "este email tem muita informação interessante e que eu concordo, assim como tem naquele livro "médico quantico" que tem uma base totalemente empírica e sem julgamentos visando a medicina integrada. Por exemplo combinar yoga com tratamento médico tradicional: o yoga já apresentava a questão da energia sutil, consciência e chakras há mais de 5.000 mil anos de modo natural, porém com a diferença de que além de apresentá-los ele, de modo prático, já ensinava a trabalhá-los, equilibrá-los, desenvolvê-los, ou seja, é algo prático.
Na medicina integrada (que combina a tradicional com homeopatia, antroposofia, ayurvedica, chinesa, florais, etc) alerta que é preciso tal combinação pois além do fator genético, espiritual, há também fatores ambientais e externos que causam doenças, ao contrário do que as informações no email pregam, como sendo a doença de única e exclusiva responsabilidade do doente. Muitas vezes, como no meu caso, desenvolvi depressão devido a fatores externos, obviamente depois tive que aceitar a minha condição, entender e compreender o mal que foi causado, e perceber o quanto pude evoluir como ser humano com a doença, para então poder, através de muito estudo, informação e experiementos aprender a conviver com a depressão e quem sabe melhorar, já que eu sofro desse mal desde criança!
Gosto muito da filosofia espírita, dos livros do Allan Kardec, mas as interpretações errôneas de algumas pessoas que institucionalizaram o espiritismo me incomodam muito. E inclusive me atrapalharam, assim como atrapalham outras pessoas que conheço que tem depressão e que eram espíritas.
Por exemplo, me lembro que aos 18 anos me sentindo mal da doença, foi a época em que tentei o suicidio e ainda tinha que ouvir de homeopata espírita que eu deveria dar valor ao que tenho, ouvir os cantos dos pássaros....
Só sabe o que é depressão quem tem mesmo, e é horrivel! Imagine sentir tristeza, angustia, mal estar, falta de concentração, cansaço, moleza, medo, e tudo o que tem de pior, todo dia durante anos! E alguem vem falar de canto de pássaros...? Ao inves de ficar com discurso moralista o melhor teria sido um abraço da tal medica!
Ora os livros de Kardec tem capitulos dedicados ao não julgamento, não é! O que a médica espírita fez comigo durante algumas sessões foi como falar para nosso primo tetraplégico: "querido você precisa levantar e correr! você não corre porque não quer!".
Mas concordo com muitas informações do email, mas o que não gosto é esse título: espirita isso, espirita aquilo.
A mesma coisa tem sido dita de outro modo a mais de 5.ooo anos... O que é preciso, é acabar com essa insistência do ser humano em seguir e criar religiões. Dentro da gente sabemos muito, é melhor nos religarmos com a gente mesmo.
Reencarnação é natural, energia sutil, espirito é natural, assim como a árvore faz fotossintese! Não tem nada de extraordinário, é mais simples. O que precisamos é sermos menos preconceituosos e julgarmos menos... E este auto aprimoramento é dificil pra kct!"

4 comentários:

Rodrigo disse...

Prezado Alysson, há muitas Casa Espíritas que trabalham no sentido da cura, mas os Centros sérios e bem preparados jamais irão orientar uma pessoa a deixar de ir ao médico ou simplesmente substituir remédios por água fluidificada. Isso é fanatismo.
Trabalho numa Casa Espírita com atividades realizadas (entre outras) no sentido da cura, mas a proposta é complementar os tratamentos que as pessoas tem buscado na medicina da Terra e não prometer milagres. Tenho ouvido muito os espíritos perguntarem às pessoas que buscam auíxlio: "Você tem ido ao médico?" Se a pessoa diz que não, o espírito diz: "Então vá, porque nós vamos trabalhar em conjunto."

Muita paz.
Rodrigo
www.casadeemmanuel.org.br

Vera Helena disse...

Concordo com tudo, Lys. Quanto a sua homeopata (fiquei indignada, imagine um médico dizer isso ao seu paciente ...), acredito que, infelizmente, muitas pessoas ainda pensam assim, independentem. de sua religião, por desconhecerem a doença. Já ouvi cada absurdo por aí (semelhante ao que essa homeopata disse) inclusive de pessoas sem religião. Mas te entendo perfeitamente, esse discurso moralista é terrível.

Beijos, linda

A jardineira disse...

Lys, só quem sofre sabe a extensão disso tudo. E nem tudo que parece solução é capaz de ajudar quando precisamos. Mas cada um tem a sua combinação para, pelo menos, reaprender a viver dentro da nossa condição. Os caminhos a gente vai descobrindo. Bjo e saudades.

Glória Maria disse...

Muito interessante! Por favor, poderia dizer quem é o autor do texto?