19 janeiro 2011

NÃO SOMOS A MENTE!

A depressão bagunça muito a mente, nos deixa um mal estar terrível, mas o que sempre achei interessante é que por mais que a mente estivesse embirutando havia uma parte minha que sempre se mantinha firme e me guiava. Espíritas poderiam dizer que eram espíritos de luz, católicos que era Deus, evangélicos que era Jesus, mas diante do meu estudo sobre o funcionamento do ser humano e das práticas diárias de técnicas de meditação descobri que é bem mais simples, que essa força sou Eu, meu Self, minha essência, minha consciência, que é uma percepção que vem de dentro, e sim é divina!
E então percebi que doenças como a depressão deixam muito claro para seus escolhidos que existe algo além da mente doente, que nós não somos a mente perturbada, caso contrário todos os depressivos surtariam, e não é o que acontece. 
A mente é algo que apenas grava coisas vindas de fora e reage a elas, seja a auto-estima "abaixo de cu de cobra" que vem da infância traumática ou a raiva e indignação que sentimos quando alguém no trânsito nos xinga injustamente. Mas nós não somos a mente, ela é um robô que tem que ser colocado a nosso serviço, embora o que a ficção pregava aconteceu: o robô se rebelou e agora nos domina, porque a vida moderna valoriza demais a mente, a lógica, o racional, a capacidade de se ganhar mais e mais dinheiro, etc, etc, etc.
Quando comecei as práticas de meditação aprendi que, ao contrário do que os pré-conceitos dizem, bastava observar os pensamentos e emoções, sem julgar se eram certos ou errados, bons ou ruins, apenas observar o que se passava na minha mente e no meu corpo. 
Por exemplo, apenas de observar minha irritação perante a porcaria do programa que faz legendas para o youtube, posso me desindentificar de tal irritação: ela existe esta lá, eu soco o computador, mas continuo observando e assim no minuto seguinte a irritação desaparece. De observar e me tornar cada vez consciente da tal irritação um dia ela nem chegará a existir, porque a mente automática já não dominará mais. Outro bom exemplo: minha mente gravou que comer doces é sinal de cuidado, carinho e atenção, agora observo quando vem essa vontade louca de me dar prazer pela comida, me observo e as compulsões tem diminuído bastante, um dia elas sumirão, porque a mente já não terá tanta força, a gravação de ter prazer pela comida será apagada. (espero que isso aconteça logo, porque com tanto açucar acumulado acabarei dizendo a frase: "sou de açucar não posso tomar chuva!")
Resumo da ópera: não há salvação fora da meditação! A meditação é o caminho para o conhecimento do funcionamento do ser humano, o auto-conhecimento. Há diversas técnicas, desde passivas até ativas, uma é para você!
Quando se tem uma doença como depressão o melhor é buscar terapeutas que auxiliem na prática da meditação, alguem de fora que nos pegue pela mão. Para mim foi e é muito importante ter meus remedinhos; minha terapeuta corporal (porque o corpo tem gravado nossa historia e para nos conhecer é preciso também ir através do corpo); meu parapsicologo (para tratar da mente biruta e de outras questões que a psicologia tradicional não pode responder, porque não vai além dos cinco sentidos) e a constelação familiar que cuidou das questões densas de minha família.
Deixo trechos do livro de alguém que sempre me ajudou muito a me conhecer e que diz que: "chega uma hora na vida de algumas pessoas que ou elas cometem suicídio, ou enlouquecem ou vão meditar". Quando desisti de cometer suicídio me restou a meditação! Esse livro é sobre o funcionamento da mente:
"... A medida que fica mais velho a sua gravação vai se expandindo. Você fica mais culto e as pessoas acham que está ficando mais sábio - na verdade está se tornando simplesmente um burro de carga carregado de livros. A sabedoria consiste apenas numa coisa -  não de conhecer muitas coisas, mas de conhecer só uma coisa, ou seja, a sua percepção consciente e a sua separação da mente."
"...É nisso que consiste toda tragédia da vida humana: você está dormindo e o mundo externo está dominando você, moldando a sua mente de acordo com as necessidades dela - e a mente é um fantoche. Depois que a sua percepção se torna uma chama, ela consome toda a escravidão que a mente criou. E não existe benção maior que a liberdade, que ser o mestre do seu próprio destino. A mente não é sua amiga. Ou ela está fingindo que é o mestre ou tem de ser colocada em seu devido lugar, como serva - mas a mente não é sua amiga. E a luta pela liberdade, pela bem aventurança, pela verdade NÃO É CONTRA O MUNDO; ESSA É UMA LUTA CONTRA A MENTE-FANTOCHE." do livro "Saúde Emocional" - transcrição das palestras do Osho. 
Vamos usar técnicas de meditação?
- meditação transcedental - o cinesata David Lynch pratica há mais de vinte anos e criou até uma fundação que ensina a técnica para estudantes. O ator Wagner Moura aqui no Brasil também é adepto: http://www.meditacaotranscendental.com.br/;
bjoka que hoje meditarei bastante já que não estou me sentindo muito bem...


4 comentários:

Luiz Fernando disse...

Alysson, nao sei pra onde foi a minha fe em coisa alguma.
Nao acredito nisso. Infelizmente

Alyson Daas disse...

oi luiz!
querido realmente é mto dificil acreditar em qq coisa qdo somos criados com o medo e a desconfiança a nos guiar...
entao nao acredite mesmo, mas se de a chance de experimentar coisas novas, de conhecer outros modos de vida!
c ucide!
bjoka

Luana disse...

Simplesmente adorei o blog....visito sempre desde que o descobri!!!

Alyson Daas disse...

oi luana!
q bom! entao não é só minha irmã e minha mãe que entram aqui!
hihihihih
bem vinda!

bjoka