31 julho 2012

Minha história no TED

Sou uma ótima faxineira!
Fui obrigada a me tornar uma das boas porque depois que fui diagnosticada com Depressão, ouvia que "não tinha motivos para ter a doença".

Mas no caminho da cura estava previsto a limpeza total e com isso fui levantando os tapetes e retirando a sujeirada que estava lá escondidinha...

Nessa faxina toda, foi incluída até mesmo uma palestra no TED sobre o assunto.

Está na hora da sociedade ouvir e ver as sujeirinhas que estão escondidinhas...


Clique aqui e assista a palestra!
http://talentsearch.ted.com/video/Ana-Maria-Saad-My-story-of-ment;TEDSao-Paulo

7 comentários:

Ana Oliveira disse...

Estou passando por um turbilhão em minha vida, depressão, ansiedade, panico, diabetes e o que me sobra...viver sem rumo, em busca de alguma coisa q não sei o que é, estou te seguindo

rosana disse...

Ola Ana. Sabe que tem um tempinho, uns 2 anos que descobri seu espaco falando da depressao, e tem uma semana que descobri seu blog e estou lendo ele todo pois me distrai e tem me ajudado nesta busca do auto conhecimento.
Ainda estou lendo, comecei do post atual e seguindo para os mais antigos.
Engracado pois minha vida desde a infancia ate esta fase adulta identifico com todos esses sentimentos e os dilemas que enfrentamos nessa busca, acho que todos que sofrem de depressao sentem o mesmo.
Tenho 30 anos e hoje tenho consciencia que desde a infancia a depressao foi se instalando. E todo esse tempo que sentia raiva de mim mesma, sem auto-estima, as fobias , panicos, manias, nao conseguir termminar a faculdade e muitas outras coisas que comecei e deixei pela metade era reflexo de sentimentos ruins que guardamos por muito tempo. Sempre fui retraida, e me isolava socialmente, e qnd tentava conviver socialmente sentia que algo em mim nao estava certo, nao se encaixava, me sentia estranha tb. Mesmo qnd tinha meus amigos e convivendo socialmente sentia algum incomodo que nunca consegui explicar.
E somente a pouco tempo, revirando o passado que consigo entender o porque nao nos permitimos desabrochar.
Todo esse processo de permitir sentir essas dores sem ser taxado de coitadinhos e vitimas pelos demais eh que podemos iniciar uma vida sem amarras e dar ouvidos a nos mesmos.
Estou vivendo este processo, e nao tem sido facil, parece que meu cerebro vai entrar em "curto ciruito" rs, sao muitas lembrancas e emocoes, e juntando todas elas tento montar o quebra cabecas da minha vida.
Desculpe pela falta de acento nas palavras, meu pc esta desconfigurado.
Muito bom poder compartilhar nossas angustias e solucoes atraves da internet.
bjos

Sérgio Paffer disse...

Parabéns pela sua coragem Ana, um exemplo para todos. Aprendi e aprendo muito com você. Abraços.
Sérgio.

Lua Nova disse...

blog muito bom mesmo, parabéns

A Cat disse...

Oi, Suicida Sobrevivente! Tenho depressão e acabei de abrir um Blog sobre minhas experiências, crônicas e reflexões.
http://venturasedesventurasbanais.blogspot.com.br/

Resolvi começar a escrever como terapia para meus males da alma. Como escrever é um exercício de sinceridade e aceitação, acredito que vá me fazer bem.

Valeu e foi bom te conhecer.

Anônimo disse...

Olá
Descobri hoje o seu blog e ele tem sido uma luz, pelo menos tenho me identificado muito e é tão bom (e egoísta) pensar que eu não estou sozinha.
Eu estou passando pelo momento mais difícil da minha vida, já não sei mais o que fazer. Resolvi como terapia fazer um blog (http://osilenciodovento.blogspot.com.br)
São poucas as esperanças e tento me agarrar a elas, vou ler com carinho o seu blog e espero que ele possa me ajudar =)
Bjinhos

diariodeumsuicida disse...

vc nao entra mais aqui... sua vida deve estar boa... que bom pra vc... tb ouco que nao tenho motivos pra estar depre... sei lah... devo nao ter.. enfim... estive aqui...
http://diariodeumsuicida2013.blogspot.com.br