31 janeiro 2009

TRATAMENTOS

A ignorância nos limita, nos segrega do que o mundo tem de mais incrível. Na minha busca pela melhora da depressão me deparei primeiramente com os tratamentos tradicionais: remédios alopáticos e terapia psicanalítica. Sem resultado. Depois um homeopata, bendito seja ele, foi quem me ajudou a me manter estável durante alguns anos, estabilidade que foi abalada pela cobrança da vida que ficava a gritar: “Se conheça! Não se ignore!”.
Quando iniciei o curso de interpretação para cinema que partia da auto- investigação, havia a fase inicial chamada de “quem sou eu”. Para tal descoberta diversos exercícios eram aplicados, principalmente aqueles que impediam a racionalização, que assim como o fogo se mal utilizada pode causar grandes estragos. Tais exercícios provinham do Yoga, da bioenergética e mais tarde descobri que Osho, um líder espiritual indiano com o qual me identifiquei muito, também já à anos ensinava algumas “táticas” que levam ao auto-conhecimento e à liberação de sensações e emoções trancafiadas. O que não tive de progresso nas sessões de terapia em um ano, tive em uns três meses com o curso de atuação. Era eu escancarada para mim mesma, doesse ou não (e doía muito), era eu, minha história, meu histórico esparramados em mim, não me deixando mais mentir para mim mesma, nem me esconder no mundo de fantasia que havia criado para não ter que lidar com a realidade que vivi em minha infância e adolescência. Lá estava toda eu. Teria sido muito mais fácil se tivesse tomado essa superdosagem de realidade através de tratamento médico e não de um curso de interpretação que de nada tem de terapêutico, mas foi ele que me colocou no rumo certo para lidar com a depressão.

2 comentários:

fantasia disse...

Bem, posso dizer que por ter uma infância traumática me refugiei na fantasia... E apesar de me torturar para a vencer, são tantas as vezes que "eu preciso", para aiviar o stress, os conflitos...
Tenho 19 anos,há quase 6 que tomo antidepressivos, ajudaram-me muito mas agora ... tenho de ser eu a ajudar-me! Estou reduzindo, custa tanto. Eu não quero tomar medicamentos para a minha vida toda e tem de ser agora ou possivelmente não sei quando será. E, é a primeira vez que encontro alguém que "fantasia demais"...

alyson daas disse...

oi fantasia
tenho certeza que vc conseguirá, pelo seu breve relato percebo que assim como eu vc também agarrou a vida com as unhas! como é bom a teimosia nesse caso, né!
apareça mais!