21 agosto 2011

Depressão na infância


Quando criança e adolescente me sentia mal, era muita angústia, muita tristeza, muita irritação , muito medo de tragédias e mortes... Aos 18 anos quando fui diagnosticada com depressão, achei que pronto! Faria o tratamento e melhoraria. Mas que surpresa quando os remédios e a terapia não fizeram efeito algum após seis meses! E muda medição e dosagem, busca outros médicos e nada. Por isso tentei me matar duas vezes, pois pensava: se os super adultos especialistas não podiam me ajudar, quem poderia? O Chapolin Colorado com certeza, mas ele não apareceu! Assim a única saída para o mal estar era a morte mesmo.
Mas diante da falta de janelas altas para me jogar e da minha falta de competência para fazer a tentativa de suicídio funcionar de fato, fiquei mais cinco anos atrás dos especialistas, inclusive psicólogos, em vão!
Até que com homeopatia melhorei e depois de dois anos a depressão voltou com tudo! Então eu comecei a fuçar me histórico e uma vez nesse caminho de tentar melhorar da depressão, descobri que aquele mal estar horroroso que todos achavam "não ter motivo algum" tinha sim, muito motivo para existir! Os normalóides tem dificuldade de encarar a realidade, parece óbvio o que vou dizer, mas os "normais" esquecem que a realidade é real!
Hoje achei esse artigo, que comprova o que a biruta aqui, está dizendo! E hoje gente graças aos tratamentos complementares e alternativos eu venho melhorando a cada dia! Hoje me sinto muito bem, tão bem que tenho trabalhado muito em meus projetos e me conhecido cada dia! Me acolhendo, esse ser que não se encaixa na fôrma social e que durante anos e anos foi anulado... Esse ser que ainda vai falar e muito!
bjoka 

5.08.2011
"Pesquisadores ligados ao Instituto de Psiquiatria da Universidade do Reino Unido afirmaram que a depressão profunda pode ter ligação com abusos sofridos durante a infância. A pesquisa foi realiza com 23.000 pessoas e publicada nesta segunda-feira (15) no  American Journal of Psychiatry.
De acordo com os estudiosos, pessoas que sofreram abusos na infância são duas vezes mais propensas a experimentar a depressão. Além disso, as crianças que foram vítimas de maus tratos têm maior dificuldade em aceitar tratamento com medicamentos ou psicólogos. - no meu caso, Loka Maria, quer dizer Ana Maria! Esses tratamentos não surtiram efeito mesmo, só me pioraram! E eu sofri abuso. Por mais que algumas pessoas, da minha própria família até, prefiram nem tocar no assunto, quando um pai se esfrega sexualmente na sua filha criança e quando se masturba na frente dela, isto  é sim classificado como abuso. 
                O estudo mostrou que medidas de prevenção na infância, são fundamentais para impedir o problema na fase adulta. - portanto quem tem filhos esteja preparado para tudo e alerta! Inclusive para acolher a criança se ela precisar, sem ficar fingindo que está tudo bem porque você não quer encarar a realidade! Seu filho precisa de apoio, antes que ele se torne um adulto todo desmilinguido como aconteceu comigo!
                Apesar de muito importante para a medicina, este não é o primeiro estudo que relaciona traumas da infância com a depressão.
                Cientistas da Queen´s University, no Canadá, descobriram que crianças que sofreram qualquer tipo de abuso, respondem de maneira diferente ao estresse quando são adolescentes.
Os pesquisadores observaram que adolescentes que já foram vítimas de maus tratos na infância, quando submetidos a novas situações de estresse, têm tendência a desenvolverem depressão. Isso acontece porque a liberação de cortisol, o hormônio do estresse é maior nesses adolescentes.
Segundo Kate Harkness, uma das pesquisadoras essa reação pode ser perigosa. A substância liberada nas situações de tensão – cortisol – mata células que, no cérebro, agem como controladoras da memória e reguladoras das emoções. Se a substância se acumula no organismo a pessoa pode desenvolver uma depressão severa. Harkness acredita que alguns distúrbios mentais podem ter sua origem no estresse. E que compreender as causas e a mudança no funcionamento do cérebro das  crianças é fundamental para ajudar no tratamento.  - ninguém adoece "do nada", procure as causas que você encontrará!
Fonte: Da redação, com Fox

12 comentários:

Sérgio Paffer disse...

Quero dar os parabéns a vc Ana pelo excelente post sobre depressão na infância.Muito esclarecedor e importante,haja vista a epidemia que já vemos ocorrendo a passos largos.
Muito obrigado,inclusive,pela coragem e generosidade de compartilhar até fatos dolorosos da sua vida para ilustrar a essência do post.Vindo de uma pessoa forte e determinada como você,é um exemplo para muitos que preferem varrer a poeira para debaixo do tapete.
Quantos não estão calados,vítimas dos mais diversos abusos,porque não há só o abuso físico,sexual,há o abuso psicológico,é o que se chama hoje em dia de Bullying no âmbito familiar.
E este terreno é fértil para o aparecimento das doenças mentais.
Como já falamos muitas vezes,a maioria das pessoas não tem a menor condição de ser pais ou mães.PORQUE OS FILHOS NÃO SÃO UM BRINQUEDINHO.SÃO SERES HUMANOS,QUE TÊM SUA INDIVIDUALIDADE E QUE PRECISAM SER AMADOS,RESPEITADOS E ACOLHIDOS.
As pessoas têm que tomar consciência que suas atitudes perante si mesmas,e os outros geram CONSEQUÊNCIAS.
Os pretendentes a ser pais deveriam primeiro se trabalharem,conhecerem-se,adotarem-se.E aí,se estiverem numa relação boa consigo mesmos poderiam pensar na questão filhos.
Não é só porque alguém tem a capacidade de se reproduzir que o habilita a gerar filhos.Filho é para toda vida.Também não é a renda o critério.Há inúmeros filhos de pais abastados que são carentes de carinho,afeto,presença.
Pena que minhas palavras escritas se perderão no ar.Mas pelo menos eu me expressei.Grato pela oportunidade e mais uma vez parabéns Ana por dividir lições de vida,insights e informação de qualidade com todos nós.O mundo seria melhor se existissem mais pessoas feito você. Fica na paz.

Borderlife disse...

".Mas diante da falta de janelas altas para me jogar e da minha falta de competência para fazer a tentativa de suicídio funcionar de fato..."
Graças a Deus eu também sou assim. Já somo mais de 10 tentativas. Eu só tenho 20 anos. Nunca consegui. Na verdade, acho que já chegaram a 20 tentativas ou mais, mas perdi as contas, pois não valeria mais a pena e havia sido no intervalo em que eu havia recuperado certo controle. Mas nunca busquei por tratamento, exceto por agora. Só que os tratamentos sao caros, frequentei psicologa por 1 mês mas parei, pois não poderia pagar mais se continuasse e ia continuar depressiva. Porém, mesmo sem um diagnóstico, eu tenho certeza que tenho depressão. Qual a gravidade, não sei. mas isso eu tenho certeza. Não sofri abusos, mas sempre tive as coisas pela metade. De fato, nunca me senti uma filha desejada. Havia o ciume dos irmãos, sim, mas eu era uma criança. Depois, o ciume passou, mas os sentimentos nunca desapareciam. Minha irmã estava doente? hospital! Eu estava doente? Hm... vai deitar, toma um remedio. Hoje ninguém sabe quando estou passando mal.
Fora outros casos... mas sim, os transtornos e depressões que vem quando a pessoa tem uma certa idade, no inicio da adolescencia, da fase adulta ou mesmo quando criança tem explicações sim! Traumas e abusos causam problemas emocionais mais tarde sim! podemos nos lembrar distorcidamente, vagamente, mas lembramos. Sempre tive esse comportamento, personalidade forte, mas que se acentuou agora porque eu nunca fui uma pessoa, uma amiga, uma filha, desejada. Não tinha melhores amigos qando pequena, minha irmã era sempre melhor que eu e eu era a estressadinha, esquentadinha. Me lembro de brigas embora não lembre dos motivos muito bem. Me lembro de ser ignorada, de tentar chamar atenção de várias formas.
Sim, influencia. E muito.
Não culpo ninguém, mas não digo que eu sou assim porque quero. Eu não quero. Eu não gosto de ser assim. Eu sou.

Muito ótimo o post, parabéns. Mas não consigo te seguir, pra te acompanhar, não estou achando...

Beijos

Borderlife disse...

Ah, sim, fora as zoações na escola porque sempre fui muito magra. Bullyng, né.
Não sou a vítima, mas com certeza não sou a vilã. Não totalmente embora me sinta assim muitas vezes.

Beijos

Maria Helena disse...

sou médica há 40 anos.O q vejo em consultório: qdo as clientes queixam-se de sintomas q percebo,estarem ligados à área emocional,imediatamente explico da necessidade do uso da medicina integrativa(alternativa).A maioria responde: mas não posso usar um calmante,mesmo ''natural''?Volto a explicar TUDO e ,noto q ,nas outras consultas ,já vêm com um calmante,geralmente ansiolítico alopático,prescrito por outro médico.Ou seja e é o q vejo: a maioria quer remédio e calmantes.

Maria Helena disse...

A maioria das clientes com alteração emocional querem ''calmantes''.Poucas escutam nossa orientação sobre conhecer-se a si mesmo,se amar,buscar medicina integrativa,não usarem calmantes de forma ilusória e pela vida afora,q isso nada muda.A maioria não aceita e é difícil q não voltem à consulta já usando os tais calmantes prescritos por outros colegas.

Ana Maria Saad disse...

sergio se expresse mesmo! temos afinidade no modo de ver a vida...
e o mundo seria melhor se as pessoas saissem da normaloidice se voltassem para dentro!
sera q é por isso que o numero de depressivos esta crescendo tanto? um chamado pra acordarmos?
matrix, sergio!
so falta aquela capa chique q eles usavam no filme! hahahahah bjoka

Ana Maria Saad disse...

borderlife!
dei uma olhada no seu blog e depois voltarei la!
dependendo da cidade em q vc mora tem varios tratamentos bacanas de graça ou com preço reduzido!
pesquisa! vc vai achar com certeza e vale mto a pena! pra gente se administrar, se conhecer e se amar é preciso ajuda de terapeutas bons, com os quais a gente tenha empatia! c cuide!!!! bjoka

Ana Maria Saad disse...

é dra,
a gente foi condicionado a querer pilula milagrosa q nos coloque de volta na forma robotica! pra voltarmos a fazer parte da society!
esquecemos completamente q somos apenas seres humanos!
por isso é bom falar e falar e falar sempre!
ao menos a semente é plantada!
bjoka

Rick disse...

No meu blog tenho feito um esforço para falar de todas as coisas, até aquelas que não são "permitidas"... as feridas e abusos sofridos na infância são desses assuntos proibidos, sobretudo porque foram praticados por pessoas que amo e quero muito perdoar ( porque descobri que desejo de vingança só me maltratou ao longo dos anos).
Quero falar, escrever, pensar, refletir para poder tratar, para poder melhorar... É preciso se autorizar a falar, admitir que as coisas ruins aconteceram, admitir os sentimentos ruins que estão dentro de nós e só assim se pode tratar... Afinal, é impossível fazer um curativo, aplicar o medicamento adequado sem olhar para a ferida.

Ana Maria Saad disse...

rick é isso q sinto tb!
e vou t dizer uma coisa: a verdade nos liberta! so ela nos traz paz!
demorei mto pra falar claramente e assumir os abusos q sofri, pq ficava pesarosa de ver q isso mexeria com pessoas q amo mto, mas entao descobri q o q mei deixava mais pesarosa ainda era ir contra a "harmonia" instaurada!
fale, fale tdo sempre! se ha amor, ha entendimento! e seu amor é poderoso!
bjoka

Anônimo disse...

Oi Ana, este foi meu caso tambem, mas de forma bem mais sutil. Ele ia ao meu quarto quando eu estava dormindo e por diversas vezes que tive sonhos eróticos super reais, acordava e ele estava deitado do meu lado, pq tinha ido ver a filha dormir. Gostava de abrir a porta do banheiro quando eu tomava banho e bater na bunda e apertar la na frente eram brincadeiras de pai. Hoje em dia perdoo, porque tambem eh humano, passivo de pisar na bola feio como qualquer pessoa. Engracado que o mais dificil eh ME perdoar, mas estou conseguindo aos poucos e me descobrindo e me gostando mais a cada dia. Força pra nos garota. Beijinhos, Marcela (Aguas)

Ana Maria Saad disse...

oi ma!
menina as vezes a sutileza é ate pior, pq fica mais dificil da gente identificar claramente o fato!
q coisa, ma, nao sabia! bem vinda ao clube! hihihihi
esse ano eu trabalhei mto essas crenças de culpa e vergonha, inerentes a vitimas de abuso, ainda mais na infancia. e to conseguindo me libertar a cada dia ma! e como é bom a gente saber da nossa historia e da onde vem nossos trantornos mentais! hj percebo claramente q nao sou essa mente doente e q a coitada adoeceu pq teve motivos de sobra! vixe! torcendo por ti tb pra q melhore mesmo a cada dia!!! obrigada por dividir sua historia!!! super bjoka